Softwares de gestão agilizam processos e ainda podem contribuir para preservação do meio ambiente

O cenário vem mudando nos últimos tempos. Hoje, a sustentabilidade e a responsabilidade social fazem parte do planejamento estratégico de qualquer companhia. Todas – sejam de pequeno, médio ou grande porte – já perceberam que é necessário fazer sua parte para diminuir o processo de degradação da natureza pelo qual o mundo passa atualmente.

Quem já viveu o dia a dia de uma empresa sabe que existe uma quantidade enorme de processos sendo executados e questões burocráticas a serem resolvidas quase o tempo todo –e a quantidade de papel demandada para dar conta das impressões e anotações é enorme.

Por isso, a maioria das empresas passou a recorrer a processos automatizados para diminuir o uso excessivo de documentos físicos e contribuir para a preservação do meio ambiente. A tecnologia de ponta da atualidade vem permitindo o lançamento de cada vez mais softwares, tornando possível que qualquer um troque o uso de documentos em papel pelos eletrônicos. Sem falar que os softwares agilizam muito todos os processos dentro de uma empresa!

Além de permitir maior rapidez, eficácia e integração de processos, os softwares de automação se tornaram a melhor opção para não ficar para trás em relação aos seus concorrentes. Através dos dados que eles emitem com precisão, é possível fazer análises e traças estratégias com visão à longo prazo.

A Explend é uma empresa especializada em softwares de Gestão empresarial e que podem otimizar os processos de venda, estoque e finanças da sua empresa. Assim, há uma grande possibilidade de aumento nos ganhos, além de também contribuir para a preservação do meio ambiente.

 

 

Fonte: Revista Exame. Publicado em 18/07/2016.

OS BENEFÍCIOS DE UM SOFTWARE DE GESTÃO IMOBILIÁRIA

As empresas que atuam hoje no setor imobiliário, cada dia mais, têm buscado alternativas para reduzir custos e aumentar sua produtividade, com o intuito de continuar crescendo e alavancando vendas. O investimento em sistemas de gestão pode ser o fator determinante para eficiência dessa estratégia.

Um software de Gestão Imobiliária pode tornar o dia a dia da imobiliária mais eficiente, pois traz dados mais assertivos, o que agiliza a tomada de decisão e pode auxiliar na redução de custos. Neles, os usuários podem registrar informações de seus clientes e imóveis e acessar de forma fácil no momento desejado. Através da emissão de relatórios gerais, também podem fazer um acompanhamento eficiente dos lucros nas vendas e locações.

A Explend é uma empresa de soluções empresarias especializada em softwares de gestão. Com o software de Gestão Imobiliária Explend, você pode controlar todos os processos de locação, vendas e loteamento e assim otimizar todos os processos administrativos e burocráticos de sua empresa. Melhorando a gestão dos processos, você poderá ter mais tempo para fazer o acompanhamento dos seus clientes de perto, que é essencial, e planejar novas estratégias para a evolução do seu negócio.

 

Para saber mais sobre a Explend, acesse www.explend.com.br e conheça todas as suas soluções empresariais. Você também pode entrar em contato pelo 0800 940 8900.

EMPRESAS QUE UTILIZAM SISTEMAS DE GESTÃO EMPRESARIAL CRESCEM MAIS RÁPIDO E SÃO MAIS PRODUTIVAS

As operações financeiras costumam ser um dos pontos que mais geram problemas nas empresas. Por isso, sistemas de gestão automatizados foram oferecidos a grandes companhias desde que os computadores eram criaturas gigantesca que ocupavam uma sala inteira. Mas o avanço tecnológico permitiu que pequenas e médias empresas também pudessem acessar estes sistemas.

Agora você pode obter o seu sistema de pagamentos integrados em uma plataforma de Gestão Empresarial ERP (Enterprise Resource Planning) para simplificar a gestão do seu negócio. Pesquisa desenvolvida pelo IDG Research Services, mostrou que empresas que utilizam sistemas de gestão empresarial têm crescimento 35% mais rápido e produtividade 10% maior do que as que não possuem acesso a soluções similares.

Em um momento econômico delicado como o que o Brasil enfrenta, encontrar soluções que permitam melhor a gestão e, consequentemente, a produtividade e competitividade do seu negócio, tornam-se ainda mais essenciais.

Um software de ERP permite que todas as operações diárias do negócio, desde o fluxo de caixa até o balanço contábil, passando pela administração pessoal e as contas a receber, sejam feitas por uma plataforma única e integrada. Além de poupar tempo, com essa solução, é possível reduzir os custos que gastaria contratando uma empresa de contabilidade ou mais funcionários para gerir o estoque, por exemplo.

Essa integração permite que os processos de compras, gastos e recebimento sejam feitos de forma mais rápida e eficiente. Essas plataformas oferecem ainda uma visão global e em tempo real dos dados da sua empresa, o que facilita encontrar soluções de melhorias.

Quer maximizar os lucros da sua empresa? Conheça a plataforma de Gestão Empresarial da Explend!

Entre em contato conosco pelos telefones 0800 940 8900 / (34)3293-0101 ou acesse nosso site e entre em contato direto com um de nossos representantes por e-mail ou celular.

Fonte: Info Money

Apps desconhecidos: riscos para empresas são maiores do que pensamos

A instalação de aplicativos de procedência duvidosa pode se tornar um risco maior do que pensamos. Mais do que infectar apenas um dispositivo, pode colocar em risco também toda a organização, por meio de diversos meios de conexões, como um acesso VPN, recurso frequentemente utilizado para acesso remoto às redes corporativas.

Ou até mesmo por meio de algum outro tipo de acesso, como o próprio e-mail, visto que as empresas estão cada dia mais ampliando o número de dispositivos acessados por cada usuário

Hackers estão a todo o momento esperando essa vulnerabilidade de um sistema ou de um usuário mal informado para entrar em ação e roubar dados de empresas. Um caso que tem se tornado muito comum e tem feito várias vítimas é o de supostos aplicativos de espionagem de celulares. Há diversos anúncios no Google, como “Celular Espião” e “Grampo Celular”, para download de apps que teoricamente devem ser instalados no telefone de uma pessoa que deseja espionar outra – muito comum com indivíduos desconfiados de casos de infidelidade em suas relações ou até mesmo colega de trabalho buscando informações no dispositivo do outro. O app é instalado no celular da pessoa que supostamente será espionada e promete enviar todas as informações. Um software como este, ao ser instalado no celular de algum executivo sem o controle da empresa, torna-se um enorme risco. O “espião” não será o usuário que instalou o programa no celular alheio, mas, sim, o desenvolvedor do aplicativo, que terá acesso a todos os dados do dispositivo. Em muitos casos, os dados das empresas estão misturados com informações pessoais, o que aumenta ainda mais os prejuízos.

As grandes empresas vêm massificando seu investimento em ferramentas de segurança, porém duas brechas ainda estão muito latentes para elas: seus fornecedores, que acessam ou trocam dados eletronicamente com as companhias; e dispositivos móveis com aplicações que trazem riscos à segurança.

Fique esperto!

É preciso haver uma política de TI para dispositivos móveis, que envolva aplicativos com arquitetura de segurança embarcada ou uma camada de virtualização nos dispositivos em que seja possível publicar os apps que a empresa permite que aquele funcionário acesse. O risco de roubo de informação por meio de ataques de malwares é real e é preciso adotar cada vez mais medidas para nos protegermos.

Fonte editada: corporate.canaltech.com.br

 

Artigo: Migração de bancos de dados para a nuvem

Com sua economia de custos e maior flexibilidade e agilidade, a nuvem está atraindo muitas organizações como uma alternativa para a implantação de novos aplicativos, incluindo aqueles com altos requisitos de desempenho de banco de dados. Embora há alguns anos isso tivesse aterrorizado qualquer administrador de banco de dados, hoje representa uma opção muito mais viável.

Entretanto, isso não significa que não existam novas complexidades e desafios associados aos bancos de dados baseados em nuvem com os quais ainda é preciso lidar. Dessa forma, quando chega o momento de efetivamente migrar seus aplicativos e os bancos de dados que os respaldam, muitas organizações ainda não sabem por onde começar. Talvez você se enquadre nessa categoria. Para ajudar, apresentamos algumas importantes considerações que você deve ter em mente ao pensar em migrar bancos de dados para a nuvem.

Liberte-se do medo

Uma das vantagens da nuvem é a capacidade de dimensionar os recursos dinamicamente. Assim, em vez de ser a fonte de preocupações com a incerteza do desempenho, ela pode na verdade proporcionará a tranquilidade de que a quantidade certa de recursos pode ser alocada a seus aplicativos para garantir o desempenho adequado. Contudo, sem um conhecimento claro de onde estão os congestionamentos de acordo com uma análise de espera adequada, acaba-se gastando demais com recursos de nuvem, até mesmo sem o benefício de desempenho esperado.

Deixar de planejar é planejar o fracasso

O velho ditado continua verdadeiro, especialmente quando a questão é escolher seu modelo de implantação na nuvem. Visto que a nuvem é, em sua maior parte, um ambiente compartilhado, também é importante compreender e testar a consistência e variabilidade do desempenho, não apenas o desempenho teórico de pico.

Experimente antes de comprar

Com novas opções e recursos disponíveis em minutos e a um baixo custo, aproveite a nuvem e experimente! Da mesma forma como você faria o “test drive” de um automóvel antes de comprá-lo, faça o mesmo com a nuvem. Em apenas uma hora, você pode configurar um banco de dados de prova de conceito por um custo mínimo. Se desejar, só é preciso um pouco mais de tempo e dinheiro para criar uma cópia em uma área restrita do banco de dados real de sua organização para testar funções e opções de implantação específicas e ver como será a operação de seu banco de dados específico na nuvem.

Não hesite em fazer perguntas

Por mais que fosse desejável, não existe um plano que resolva todos os possíveis problemas ou casos de uso de migração para a nuvem. A maioria dos provedores de serviços de nuvem oferece orientações para migração e arquitetura. Não hesite em pedir ajuda. Também é uma boa ideia executar um espelho de seu sistema interno na nuvem por algum tempo antes de concluir a transição.

Embora estas práticas recomendadas de planejamento e migração (ainda) não façam de você um especialista, levá-las em consideração deve ajudá-lo a dar os primeiros passos. Não aproveitar a nuvem pode representar a perda de uma oportunidade. Experiência na nuvem é boa para qualquer profissional e logo será necessária para sua carreira.

Fonte editata: ipnews.com.br

Como sua empresa vai morrer em 10 anos – e como se proteger da cegueira seletiva

Você sabia que 89% das empresas listadas na Fortune 500 em 1955 não estavam na lista em 2014?

A idade média de um diferencial competitivo caiu de 30 anos em 1984, para míseros 5 anos em 2014. Eu sei que é assustador ler isso, mas a realidade é essa mesmo: existe uma boa chance da sua empresa não mais existir em 10 anos.

Estamos na era do crescimento exponencial e o mercado respeita religiosamente a conclusão de Charles Darwin descrita em sua obra prima, A Origem das Espécies – aqueles que sobrevivem não são os mais fortes ou os mais rápidos, são os que detém maior capacidade de adaptação.

A cultura corporativista carrega como efeito colateral a cegueira seletiva. Alguns executivos preferem enxergar apenas aquilo que lhes convém – afinal, por que se preocupar com algo que, no mínimo, lhe trará um enorme problema para defender perante seus colegas?

Sim, estou falando daqueles projetos disruptivos que mudam completamente a forma como a empresa opera, muitas vezes, por décadas. Sabe aquele projeto que você engavetou pois preferiu não ter que enfrentar metade do time executivo para aprová-lo? Ou pior, você tentou aprová-lo mas foi vigorosamente vetado (afinal, a empresa já funciona daquela forma há anos e os negócios vão bem, não há necessidade de correr o risco da mudança).

Se você é um funcionário/líder exemplar, provavelmente se identificou com o parágrafo acima. Deixa eu te contar um segredo: o único risco que uma companhia corre nos tempos atuais é o de NÃO MUDAR!

Para sair do clichê de citar exemplos norte-americanos, vou falar do Brasil mesmo.

Grandes redes de pizzaria locais poderiam ter antevisto o fenômeno da adoção mobile, por exemplo – a Sala Vip ou a Parmê poderiam ter criado seu app de entrega de pizza, antes que o IFood o fizesse.

Grande cooperativas de táxi poderiam ter criado seu app antes que eu o fizesse em 2011 – inclusive, ofereci a eles essa possibilidade e recebi seguidos “não”como resposta.

A NET poderia ter criado seu serviço de streaming antes do Netflix, mas só agora pouco resolveram soltar o Now – que, de vez em quando, funciona bem.

Sabe por que nenhum destes exemplos acima se anteciparam ao que estava por vir? Por causa da cegueira seletiva.

Meu avô costumava dizer que “ideia vale 10 centavos a bacia”; eu não poderia concordar mais. Com certeza alguns executivos/funcionários tiveram a ideia de fazer algo disruptivo em seus negócios, mas a cegueira coletiva impetrada no ambiente corporativo podou estes pontos fora da curva – e provavelmente estas companhia serão penalizadas severamente por cometer este erro.

Hoje em dia, temos 2 bilhões de aparelhos conectados à internet; dentro de 35 anos este número será de 1 trilhão. Existe um mundo de oportunidades a serem aproveitadas e sua companhia tem duas opções: um, se vacinar contra a cegueira coletiva; ou dois, ser atropelada pelos novos entrantes, as famosas startups que estão ávidas por disruptar novos mercado com um time extremamente enxuto e um propósito transformador debaixo dos braços.

Como eliminar a cegueira coletiva no ambiente corporativo?

Bom, isso seria espaço para mais 10 artigos, no entanto, vou listar 3 pontos práticos a serem adotados para evitar que sua empresa seja atropelada nos próximos anos.

  1.  Fazer um hackaton por semestre: Hackatons são maratonas de desenvolvimento, geralmente adotadas para desenvolvimento de software, mas que podem facilmente serem adaptadas para processos, produtos, etc… Recomendo que aconteçam dois hackatons por ano na sua empresa e que cada projeto vencedor seja executado religiosamente; sem dúvida será o melhor investimento em R&D que sua empresa fará. Muitas empresas erram feio ao fazer Hackatons e não executar os projetos vencedores. Ao fazer isso, além de desperdiçar tempo e dinheiro no evento, você frustra seu time e poda a inovação na raiz.
  2.  Democratize a opinião: Não faz sentido contratar pessoas inteligentes e bem formadas para que a palavra final seja de um diretor/gerente. É importante adotar a cultura da argumentação; se o estagiário tem um ponto, deixe que ele explique este ponto. Caso o gestor não concorde, ele tem o dever de contra-argumentar para provar o motivo de o ponto apresentado não ser viável. Adotando essa cultura, você irá incentivar seus funcionários/colegas a contribuirem para a companhia e vai também começar a construir o sentimento mais importante na vida de uma empresa: o “sentimento de dono”.
  3. Sente um dia por mês no call center: Todo gestor, do CEO ao gerente, deveria obrigatoriamente sentar pelo menos 1 dia por mês no call center. É no call center que você encontrará as respostas para o próximo grande lançamento da sua empresa, ou a adaptação no seu produto que lhe fará ganhar market share (e não na sua planilha de Excel!).

O dever do CEO, é construir uma companhia que irá destruir a sua, em alguns anos. Lembre-se, a verdade é perecível e atualmente, sua validade é como um cubo de gelo no deserto.

Fonte: linkedin.com

AS VANTAGENS DE UM SISTEMA INTEGRADO PARA GESTÃO EMPRESARIAL

A informática está cada vez mais em ascensão no mundo, esse quadro é mais que óbvio para todos, já que grandes e também pequenas empresas integram suas informações em sistemas.

O conhecido Sistema Integrado de Gestão Empresarial (Enterprise Resource Planning ou ERP) já é utilizado por empresas de grande, médio e pequeno porte. Trata-se de um instrumento muito eficaz, que serve para integrar diversas áreas da organização, aumentando, com isso, a confiabilidade e a produtividade da empresa. Áreas como Compras, Marketing, Produção, Logística, Contabilidade, Fiscal e RH, entre outras, conseguem trabalhar de uma forma mais integrada, fazendo que a organização, como um todo, alcance melhores resultados, índices de eficiência, credibilidade e qualidade no atendimento. Tudo isso com custos menores, elevação na lucratividade e melhora no relacionamento entre os clientes internos, externos e os fornecedores.
Quando os empresários começam a planejar a implantação de um sistema desse porte sempre ficam em dúvida se vale a pena ou não investir em um produto pronto e adequar todo o seu processo ao sistema, ou se devem contratar uma empresa que desenvolva um sistema que se enquadre nos processos da empresa.
O que muitos julgam correto é fazer um estudo com algumas empresas para ver se o produto deles se encaixa no perfil dos processos internos do cliente e a partir desse estudo desenvolver as customizações necessárias no software e também algumas adequações nos processos internos da organização, tudo isso para que o sistema seja uma ferramenta indispensável no planejamento do futuro da organização por muitos anos.
O resultado dessa fusão é uma integração completa de sistemas de gestão e comunicação com o objetivo de facilitar o compartilhamento de informações em circulação na empresa através de planilhas, gráfico, relatórios, etc., e também disponibilizar informações importantes em tempo real através de e-mails, torpedos de celular e internet em um portal privado da organização (intranet), por exemplo, dando assim informações em tempo real para os vendedores sobre a produção, estoque, prazos e datas.
Existem vários benefícios oferecidos por um sistema
ºMelhoria de qualidade em produtos e serviços;
ºRealização de objetivos e metas da empresa;
ºEconomia de tempo e custos;
ºTransparência dos processos internos;
ºFortalecimento da imagem da empresa e a participação no mercado;
ºMaior controle dos riscos com acidentes ambientais;
ºSatisfação de clientes, funcionários e acionistas;
ºSatisfação dos critérios dos investidores e melhoria do acesso ao capital;
ºAumento da competitividade;
ºAssegurar às partes interessadas o comprometimento com uma gestão ambiental demonstrável;
ºRedução e controle de custos ambientais;
ºOportunidades para conservação de recursos e energia;
ºMelhoria do relacionamento com todas as partes interessadas (clientes, acionistas, ONG’s, fornecedores, governo e funcionários);
ºPrevenção de falhas ao invés de suas correções.

Fonte: gestoratual.com.br

Descubra a principal ferramenta para ajudar na gestão de uma empresa:

Nos últimos anos, muitas ferramentas de gestão se tornaram corriqueiras no cotidiano das pequenas e médias empresas. Elas podem ajudar – e muito – o líder a entender melhor tanto a própria empresa quanto o mercado em que atua, o que propiciará uma definição muito mais realista sobre os resultados que queira atingir, bem como se planejar melhor para o futuro.

Existem dezenas de teorias, mas muitas são de difícil aplicação ou não passam de modismos que duram pouco. Comentarei a seguir uma ferramenta que é usada há anos em empresas de grande porte, com muito sucesso, e que pode ser perfeitamente adaptada aos pequenos e médios negócios, a análise SWOT.

A ferramenta é indicada para aprofundar o conhecimento do negócio em quatro grandes dimensões. Aqui, o ponto chave é ser absolutamente realista, pois de nada adiantaria uma análise irrealisticamente otimista ou pessimista. 

1. Strengths 
Quais são os pontos fortes da sua empresa? Tem a ver com os diferenciais que poucos têm ou atividades que dão lucro ou atraem clientes. Pode ser um produto especial, equipe qualificada ou um modelo de distribuição inovador, por exemplo.

2. Weaknesses 
Quais são os pontos fracos do seu negócio? São aquelas áreas em que há deficiências que causam problemas ou prejuízos constantes. Pode ser, por exemplo, um produto ultrapassado, alta rotatividade de pessoal ou pouca capacidade de investimento.

3. Opportunities 
Quais as oportunidades que você teria para aprimorar seu negócio? Isso tem relação com as chances que poucos concorrentes conseguem aproveitar de imediato. São situações como a saída de um concorrente importante ou interesse de investidores em seu segmento de mercado.

4. Threats 
São as ameaças graves à continuidade de seu negócio. Pode ser a entrada de um concorrente poderoso no mercado, a criação de um novo produto que você não tenha acesso ou a descoberta de uma nova tecnologia que mude as regras atuais ou ainda um aumento de custos que você não consiga acompanhar.

Normalmente, os pontos fortes e fracos estão dentro da própria empresa, enquanto as oportunidades e as ameaças são situações de mercado que não dependem, em princípio, de sua atuação. Se feita com critério e profundidade, a análise SWOT, além de custar muito pouco, lhe dará informações valiosas para planejar ações que aumentem as chances de sucesso da sua empresa.

Fonte: exame.abril.com.br